?

Log in

No account? Create an account
... indefinições ... [entries|archive|friends|userinfo]
morninga

[ website | Fotolog ]
[ userinfo | livejournal userinfo ]
[ archive | journal archive ]

voa ... voa ... [Feb. 3rd, 2006|07:11 pm]
morninga
[music |Clap Your Hands Say Yeah . Is This Love?]

Borboleta
Que já esteve na tua mão
E agora está na minha
Como a minha vida.

Borboleta
Voa comigo
Para longe daqui
Leva-me contigo e traz o meu céu.

Queres vir comigo?
Torna o meu sonho real,
Faz-me sorrir todo o dia
Meu anjinho do ar
Que me faz voar
Diz-me que tá tudo bem
Faz-me acreditar em ti e em mim.

Para me acompanhares
Para me levares
E fazer sentir-me leve
Deste fardo, que me puxa.
Gravidade!

Borboleta
Colorida
Dá-me a tua asa
Que eu dou-te a minha vida.

Queres ser a minha borboleta ?

[Encontrei o rascunho deste texto... e lembrei-me do filme que tentei fazer com ele na serra de Sintra xD

E faltam me apenas mais 3 borboletas para fazer o número mítico ]
linkpost comment

(no subject) [Feb. 2nd, 2006|10:41 am]
morninga
[mood |iluminada (de novo)]
[music |The Stokes . Red Light]

Ai luz
luz vermelha que tocava suavemente na tua pele branca;
que me recordava o inferno
mas estava no paraíso.
Ai luz
luz vermelha que encantaste naquela noite.
Fizeste com que o meu coração batesse mais forte...
porque o tempo fez-me sentir pequena, e com que tremesse quando te via.
Mas como o tempo é mau... e eu tenho raiva dele.
Passou devagar quando não estavas mas num relâmpago quando apareceste.
Ai luz
luz vermelha... dá-me um sinal
ilumina-te outra vez!
Mostra-me o fogo que o dragão cospe da boca e que me incendeia.
Mostra-me a linha que criaste e que depressa o tempo apagou.
Ai luz
luz vermelha...que te misturas com o meu verde
que dás vida a tudo e o tudo que se mexe a 100 km/hora numa vertiginosa corrida contra o tempo.




[Porque ando a ouvir coisas que não ouvia á muito tempo, e porque ando a ouvir coisas novas... e porque o tempo é intemporal ^^ ]
linkpost comment

(no subject) [Dec. 18th, 2005|08:26 pm]
morninga
[mood |happyhappy]
[music |Bloc Party . Silence Alarm [album]]

Tomo um café nas horas frias da manhã

Uma enorme tempestade se adivinha...

Mas como se está um optimo sol de inverno?

Esperei tanto tempo por isto

Para me ver livre desta tempestade...

Se eu correr mais um bocadinho, alcanço-te

Para te inundar de papeis ridículos e prontos a serem reciclados.

Eu sei , meu amor, que o mundo grita e gira como se estivesse dentro de uma gaiola.

Eu sei , meu amor, que me perco nas riscas e nos quadrados das minhas memórias; que me fecho como girassois no Outono.

Quem me dera poder parar o tempo, situa-lo naqueles momentos em que está sol e o comboio apenas tem um destino: o de ficar e não partir.

Toco num lenço com toda a delicadeza, como se fosse a tua mão... mas como não é a tua mão, acabo por amarrota-lo e deitar fora, para o meio do rio, de modo a que fique a boiar, em cima do mar, já que o meu corpo se afunda nele.

Vejo as nuvens a brilhar no meio da tempestade, como algodão...

 

Como tu...!

 

 

linkpost comment

Labirinto de Chamas [Sep. 22nd, 2005|03:16 pm]
morninga
[mood |satisfiedsatisfied]
[music |X-Wife - Feeding the machine [álbum]]

Posso ?
Podes!
Queres ?
Quero...
   Um turbilhão de emoções que se evaporam como a chuva que não existe!
   Um chocolate para poder saborear e satisfazer-me!
   Uma lanterna para iluminar a minha sorte e fazer desaparecer os extraterrestes!
   Um mito para que sobreviva para sempre!
   Uma bola para colorir, jogar e brincar na praia e rebolar na areia fina que nos toca e  nos sangra!
   Uma fotografia a nú para poder olhar a masturbar-me à vontade e livrar-me do desejo carnal de um homem que não me satisfaz!
 
E afinal tudo pára e circula ao mesmo tempo devido ao bloqueo mental das nossas acções que não nos deixa agir nem...

   Procuro e não te pergunto onde está!
   Corro e não alcanço a meta! (Será que existe?)
   Construo uma mota para andar a grande velocidade mas as rodas não servem porque não suportam a tralha que levo para nunca mais voltar ao mesmo sítio.
   O telemóvel não toca
   Esperas
   E tens pesadelos com o teu próprio mundo que gira e roda como aquela bola que estava na praia cujo o mar toma conta do teu sangue e congela-o.
   Aspira todo o teu pseudo bom humor e romantismo e aposta na tua sinceridade.
   Não deixes de fazer perguntas para que, mesmo que tentes encontrar o caminho sozinho, não batas com a cabeça na parede!

E os ventos que correm lado a lada da minha janela, mostra que o teu movimento aumenta e o teu olhar desvia-se.
Por isso deixa-te estar e reencontra a tua paz interior e liberta-te deste labirinto de chamas.

link2 comments|post comment

(no subject) [Sep. 21st, 2005|05:49 pm]
morninga
[mood |awake]
[music |The Arcade Fire - Crown of Love]

Ficar a olhar para o balão
Há espera que as crianças se levantem e que lavem os dentes...
Dá tempo para rebentar com o mundo... e ajustar as janelas que ocultam o paraíso.

Na minha vida a noite fica igual ao dia
porque a camada do ozono está cada vez maior e os raios solares aproveitam e apoderam-se
da minha boa vontade.
Por isso tenho luz de noite e de dia...

Não consigo esquecer tantos momentos
Bons
Menos Bons
E ao ler todos os momentos que registei, verifico que em lado algum surgiu um ponto de final.
Apenas pontos de exclamação
Ainda bem!... é sinal que estamos todos acordados e a escrever um livro para mais
Tarde... poder ilustra-lo

 

                    "If you still want me, please forgive me
                     The crown of love has fallen from me
                     If you still want me, please forgive me
                     because your hands are not upon me

                                           ...

                     You gotta be the one, you gotta be the way
                     your name is the only word, the only word that i can say "

 

link2 comments|post comment

(no subject) [Mar. 7th, 2005|03:12 pm]
morninga
[mood |determined]
[music |Enigma . Following the sun]

                                             
Gosto de te ver  -> quando olhas para mim.
Gosto de ver o dia -> quando ele está brilhante e com sol
Gosto de te sentir -> quando estás perto de mim
Gosto de sentir o dia -> quando está sem núvens e sem vento
Gosto de sentir os caminhos e pisar as folhas secas das árvores.
Gosto de tocar no mar , na areia e nas rochas e nas algas
Gosto de todas as estações do ano
Gosto de todos os planetas do sistema solar.

A vida é aquilo que nós fazemos dela... e aquilo que nós damos a ela.
Por isso a ver se abrimos todos a "pestana" porque a sociedadae é algo incoerente, inconcebível aos olhos de qualquer um.

E estou contigo... para sempre =)

   
                                                                     

                                                                           
[ Porque é que eu nunca consigo dar um titulo àquilo que eu escrevo ? ]
linkpost comment

(no subject) [Feb. 26th, 2005|11:21 pm]
morninga
[mood |artisticartistic]
[music |Anathema . electricity]

Existem muitas formas de pensar diferentes
Umas pesadas, outras leves.
Corres a estrada errada, acabas por cair e não te levantar.
Não bates com a cabeça nas paredes mas devias.
Agarro então na lapiseira verde alfaçe que domina o meu dia
E escrevo um diário
Sobre uma formiga que fica sem o seu ninho de aranhas
E acaba o dia a vender mel para ganhar dinheiro.
Acabo por cair dentro de outro meio buraco
Mas desta vez luminoso.
Porque estamos sempre a aprender
E a continuar a ser artistas e individualistas
Importantes como as gotas da chuva.
Cuidado com a rapidez porque os comboios de alta velocidade são perigosos.
Encontro forças nas folhas lisas, de linhas e de
Quadrados e escrevo nas suas
Entre linhas o que quero e o que gostava de ser
E o que pretendo fazer na vida.
Neste mundo que só apetece colocar uma bomba
dentro dele e de muitos
E provocar uma explosão de rebuçados
Para adoçar o dia e a noite de muitos sujeitos.
Onde está o objecto para brincarmos?
Onde está o ser sobrenatural?
Vamos então tocar-nos com a ponta dos dedos
Saborear o calor e o céu e as nuvens
E pintar tudo de todas as cores.
Pegar num extintor e atira-lo para cima daquele
Que tem a mania que sabe e afinal não sabe nada!
Vou então partir para a prática: esquecer as teorias
Do conhecimento e praticar o método...
Evoluir com as coisas que nascem dentro de mim
E morrer com as coisas que vêm « á posteriori »



linkpost comment

(no subject) [Dec. 26th, 2004|08:23 pm]
morninga
[mood |coldcold]


Pois é ... o Natal já passou...
E o Ano Novo está aí a bater á porta xD

Neste dia tão especial
Imaginei que tudo seria perfeito,
Que o rio iria correr ao seu ritmo normal,
Que as ondas iriam ondular,
As pessoas iriam parar...

Afinal  nada disso se verificou,
O rio correu ao contrário,
As ondas deixaram de ondular e tocar no meu corpo,
As pessoas não paravam e corriam como doidas.

Onde estás tu, neste dia tão especial,
Em que eu me quero reencontrar,
Com as linhas do comboio,
Ao ziguezague,
A parar numa serra eléctrica
Para cortar o meu cérebro e o meu coração  em pedaços para te dar!

Neste dia tão especialm que para mim iria ser inesquecível,
Tornou-se um abismo,
Um buraco negro...

Neste dia tão especial!

[ Ai ai ... tem tado frio... Hoje quando leio isto dá-me vontade de rir não sei porquê ! ]

linkpost comment

... o meu aniversário ... [Nov. 26th, 2004|02:40 pm]
morninga
[mood |happyhappy]
[music |O ruído das minhas teclas]

Pensamento antes dos 18 :
    Como será ter 18 anos ? É sempre esta pergunta que fiz desde os meus 14 / 15 anos. Poder ter a carta de condução ; poder ir votar ... etc etc ... deve ser fixe !

O engraçado é que o tempo voa e já passou um dia do meu dia de aniversario e as coisas contínuam iguais. Afinal não mudou nada. Apensa um ano mais velha , um ano mais próxima da chamada "morte".

Pensamento agora com 18:
    Fiquei melancólica, recordei a minha "breve" infância. E o quanto o tempo anda depressa... e muda tudo . A minha vida tem mudado de dia para dia. E ainda tenho a noção de que tenho muito para fazer e que não tenho tempo para tudo.

    Quero o tempo só para mim. E para mudar o mundo! Cruel e injusto. Mas cá está... malta jovem... somos nós que iremos fazer deste Planeta, o melhor do universo !

[...]
No tempo em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu tinha a grande saúde de não perceber coisa nenhuma,
De ser inteligente para entre a familia,
E de não ter as esperanças que os outros tinham por mim.
Quando vim a ter esperanças, já não sabia ter esperanças.
Quando vim a olhar para a vida, perdera o sentido da vida.

[...]
O que eu sou hoje é terem vendido a casa,
É terem morrido todos,
É estar eu sobrevivente a mim-mesmo como um phosphoro frio...

No tempo em que festejavam o dia dos meus annos...
Que meu amor, como uma pessoa, esse tempo!
Desejo physico da alma de se encontrar alli outra vez,
Por uma viagem metaphysica e carnal,
Com uma dualidade de eu para mim...
Comer o passado como pão de fome, sem tempo de manteiga nos dentes!

[...]

Pára, meu coração!
Não penses! Deixa o pensar na cabeça!
Ó meu Deus, meu Deus, meu Deus!
Hoje já não faço annos.
Duro.
Somam-se-me dias.
Serei velho quando o fôr.
Mais nada.
Raiva de não ter trazido o passado roubado na algibeira!...

O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!...

Álvaro de Campos - Aniversário
link1 comment|post comment

(no subject) [Nov. 23rd, 2004|07:25 pm]
morninga
[mood |blahblah]

Já estava com saudades disto...
Tive um pequeno problema mas já está tudo resolvido!

Pensamentos trocados, inspiração falhada... organizações desorganizadas... deixo aqui uma letra de um Grande Homem que tem marcado a minha adolescência ... e que agora tem um álbum com título bastante interessante 
" Norte"

.
Jorge Palma . A gente vai continuar .
 Tira a mão do queixo, não penses mais nisso
O que lá vai já deu o que tinha a dar
Quem ganhou, ganhou e usou-se disso
Quem perdeu há-de ter mais cartas para dar
E enquanto alguns fazem figura
Outros sucubem à batota
Chega aonde tu quiseres
Mas goza bem a tua rota

Enquanto houver estrada para andar
A gente vai continuar
Enquando houver estrada para andar
Enquando houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar

Todos nós pagamos por tudo o que usamos
O sistema é antigo e não poupa ninguém , não
Somos todos escravos do que precisamos
Reduz as necessidades se queres passar bem
Que a dependência é uma besta
Que dá cabo do desejo
E a liberdade é uma maluca
Que sabe quanto vale um beijo

Enquanto houver estrada para andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada para andar
Enquando houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquando houver ventos e mar.

[Porque é o vento que me guia e que me move... numa infinidade de pensamentos livres... e que acabam por estar sempre desordenados! ]
link2 comments|post comment

navigation
[ viewing | most recent entries ]
[ go | earlier ]