?

Log in

... indefinições ... [entries|archive|friends|userinfo]
morninga

[ website | Fotolog ]
[ userinfo | livejournal userinfo ]
[ archive | journal archive ]

(no subject) [Nov. 18th, 2004|09:26 pm]
morninga
[mood |Sem modo x)]
[music |Radar 97.8]

Sentir e Respeitar!!
Duas coisas fundamentais no ser humano. Como é que posso respeitar algo que não sentes ?
Confuso não é ?

Tenho tido imensas ideias... mas qualquer dia acabo com elas!
Vou revolucionar... como o mestre Fernando Pessoa!

uma casa que é casa não tem janelas não tem ar e não tem não vive sem ti não vive sem mim e afunda-se como um navio tal que este desenrrola arame por tudo o que é canto e amarra-me a um posto que tem electricidade e neutrões e iluminam uma cidade inteira que é poluida pela fábrica de conservas cujas as latas são despejadas no alto mar e contaminam os peixinhos que saltam alegres e contentes ao lado das focas do Canadá onde as pessoas falam francês

[ Pancadaaaaaaa ]     
link2 comments|post comment

... saudade ... [Nov. 15th, 2004|08:47 pm]
morninga
[mood |coldcold]
[music |Semisonic . Secret Smile]

Saudade
Saudade do teu carinho, do teu abraço...
Amor que nunca tive
Promessas sem nunca terem sido cumpridas
Recordações
Recordações de tudo o que vivi.
Momentos doces como aquela tarde de Abril.
Um soluço... do meu coração amargurado, revoltado
Num desejo louco de te ter
Uma lágrima... fonte seca do meu destino
Um sol... ardente naquelas manhãs em que me surpreendias com aquele teu jeito meigo como se fosses um anjo.
Um carro... cintilante momento como as estrelas que brilham no céu.
Uma cor, um símbolo que temos em comum
Paixão ardente...
Noites sem dormir... noites escuras...
Caminhos sem volta e amargurados a recordar, ouvindo aquela música que nos uniu.
Ontem... memórias que rodeam um número que está fixo no meu pensamento.
Hoje... um caminho ledo e seco, tenebroso, como as forças do mal a atacar-me
Pensamentos inacabados
Amanhã poderá ser tarde demais.
Nunca irei conseguir dormir descansada com este peso na alma.
As lágrimas
Um soluço
O filme ardente... uma fotografia.
Fico louca só de te imaginar
Imaginar aquilo que eu quero mas tu me negas
Um longo adeus... uma tortura
Perdoa tudo aquilo que te fiz
Louca sou, mas tive de o fazer!
A carta... sem resposta
O silêncio... a saudade ficará para sempre eterna no coração.
A paisagem
Correr... foges de mim como se fosses tu a bela e eu o monstro
Quero ser uma folha de papel para poder sentir a tua mão.
Montanha russa... a vida é assim - inconstante
Alegria ainda a sinto mas só quando estás perto de mim
A lua
O sol, o nosso eterno aliado naquelas manhãs
Sombras inundam o meu coração
O silêncio
A saudade
Palavras soltas pela caneta e agarradas pela imaginação
Pensamentos... sonhos
Traição... maldição... Outra pessoa rodeada de segredos
Ter-te aqui... agora... sentir-te
Tocar-te
Ilusão... porque tudo é um vazio
Um caminho longo a percorrer
Sem forças eu me sinto, pronta para acabar mas não por desistir
Esquecimento
Lembranças
Coisas impossíveis
Rascunhos de uma vida que levo, imaginando-te para o resto da vida.
Sem título, um silencio
A saudade

[ Porque hoje te reencontrei na rua ... e este foi o primeiro dedicado a Ti ...]
linkpost comment

(no subject) [Nov. 11th, 2004|09:16 pm]
morninga
[mood |peacefulpeaceful]
[music |Bjork . Play Dead]

Porque tenho saudades
Porque estive em reflecção
Porque estive a sonhar
Porque estive a ouvir
Encontrei um dos albuns da minha vida.

        Tenho que alterar tudo o rumo das correntes
        De um mar que gira sem parar
        Como um céu de estrelas apagado
        Tem que ser assim senão acabamos por morrer e a alma murcha e derrete-se

Cinzas de um corpo e espirito
Quente e febril com alucinações

        E um fantasma caminha e vê uma estrada
        Estrada Perigosa ... caminha... e lança uma luz !

[ O sossegado espectro angélico da Morte!
                                  Cesário Verde ]

link14 comments|post comment

...paisagem... [Nov. 8th, 2004|01:47 pm]
morninga
[mood |calmcalm]
[music |The Cure . Taking off]


Parti
Com destino marcado mas sem saber o que iria encontrar.
Olhei em volta e senti-me a coisa mais pequena do mundo.
Tanta beleza junta
Tantas horas que passaram a correr mas ficaram gravadas na minha pele.
O vento
Bateu na minha face e os meus pensamentos voaram com a brisa suave
O sol
Toca no meu corpo e escuto as folhas das árvores.
Assim, como quem não quer acordar, renasci da vida.... para a vida...
Para visualizar o quanto a natureza nos pode dar e alterar comportamentos quando estamos juntos de pessoas maravilhosas!


[ Apeteceu-me recordar =) ]
link6 comments|post comment

(no subject) [Nov. 4th, 2004|02:09 pm]
morninga
[mood |stressedstressed]
[music |Peaches - Fuck the pain away]

Porque hoje estou vazia...

E...
Porque não posso dizer-te que te quero pra mimmmmmmmmmmmmmmm :|
link6 comments|post comment

(no subject) [Nov. 3rd, 2004|01:09 pm]
morninga
[mood |indifferentindifferent]
[music |Tori Amos . Silence all these years]

- Olá, tens dois minutos?
- Não!
- Vá lá ... dois minutos?
- Estou com pressa, desculpa!
- OK... desculpa apenas não quero que fiques chateada!
- Não,  não fico, mas estou com pressa!
- Desculpa. Vou-me embora!
- Não ... não vás... mas eu percebo-te.
- Então?
- Confusa... não sei o que quero!
- Queres-me?
- Sim e não!
- Porquê ?
- Não sei... ajudas-me?
- Ajudo... o silêncio não dura para sempre =)
- Amas-me?
- Amo-te!

E abraçaram-se .... e  tempo que estava de trovoada, acabou por clarear.
- Olha... caíu. Segura!
- O que é?
- Uma parte de mim...
- Posso roubar-te duas coisas?
- O quê ?
- O teu coração e um sorriso...
- Pode ser!

[ one illusion ]
link2 comments|post comment

(no subject) [Nov. 1st, 2004|01:34 pm]
morninga
[mood |crazycrazy]
[music |A Perfect Circle . The Noose]

Podia ser que um dia de inverno me suplicasse a sua dor, o seu frio
Enquando as ondas do mar dão à costa
E as minhas riscas moldam tectos e corpos
Como larvas a rastejar pela areia acima
E (a)baixo a um ciclo que se torna um vício.
Entretanto a terra não muda
Colapso, treme de medo... vive em superficialidade.
Divergência.
Percorro um rio que está a céu fechado porque está limitado
Como a tua inteligência.
A minha vista cristalina, repara em tudo
Tudo o que é limpo e macio
Constrói uma estrofe
Com sons e letras...
Sou um zero à esquerda de contrariedade
Do mesmo modo que sou modelo
Influências, ardor
E acaba por se perder na estrada
Do infinito da virtude
Aluninações ... parece que te vejo
Tenho um flash ... paragens
E volto  a um mundo que não é o meu
E volto apenas a voar.

                   [ Your halo slipping down ]

P.s ... Quem quer que sejas X ... dá-me uma pista

link5 comments|post comment

...Pular... [Oct. 30th, 2004|11:20 am]
morninga
[mood |boredbored]
[music |Snow Patrol . Spitting games]

Pula
Sobe
Desce e deita

Pula mais uma vez e o céu cairá
A teus pés, prender-se-a
Até descobrires que isto não é sempre assim...

                         I'm  far too shy to speak to you at school
                         You leave me numb and i'm not sure why

Cai a neve em cima das janelas
A montanha é fria
E tu levantas-te até te equilibrares
Tonturas que me dão ... e a toda a gente ... -- o mundo é uma doença

                          Confused enough by life so thanks a lot
                          Lonely written words for company
                          Just raise the roof this once and follow me

. que dia malvado .
link6 comments|post comment

...podia ser... podia estar no céu... [Oct. 27th, 2004|04:37 pm]
morninga
[mood |confusedconfused]
[music |Pluto . Segue-me à luz]

Algures no mundo, alguém gritou o meu nome
O meu número

                E tive uma ideia ... de me embalar...
                Em embalagem de papel ...

Pintado com uma aguarela
Manchada de suor ...

                Estendo a roupa e olho para o céu
                Deixei-me cair no brilho forte de um buraco negro ...

Na metafísica , a guerra é pública
E as cabines também  e visto-me lá dentro !

              
  Baloiça-me outra vez e dá-me um balão
                Um chocolate ou uma pedra
                Para eu mandar para cima da tua cabeça para ver se acordas

E para me veres
A governar o mundo ... império rico de hostilidades...

[ Ai como eu adoro a relva ... tu não gostas ? ]
</font></font>
link6 comments|post comment

(no subject) [Oct. 25th, 2004|01:25 pm]
morninga
[mood |sadsad]
[music |Darren Hayes . Darkness]

Ás vezes tenho tanta vontade de chorar... e paro tantas vezes no tempo...

Hoje sonhei que tinha acabado de tirar a carta de condução e que me tinham dado logo a guia. Então o que é que eu fiz.... fui logo pegar no carro da minha mãe e parti...
Parti para Norte... sempre em frente... depois as curvas... por fim o destino.
Estavas lá e ficaste surpreendido a olhar para mim... a mascar uma pastilha elastica... e continuaste sério e estático...
Fui ter contigo, disse-te olá e dei-te dois beijos... e continuavas estático...
Então peguei na tua mão, arrepiaste-te como se te tivesse dado um choque electrico, sussurrei-te ao ouvido e seguiste-me. Entramos dentro do carro e fugimos dalí. Fomos para um sítio perfeito... acabaste tu por me guiar e o meu coração a ceder a certos caprixos!
Chegamos novamente ao destino. Tu saiste e os raios de sol que estava escondido entre as nuvens, preencheram a tua cara... Eu sai, fui ter contigo, peguei na tua mão e comtemplamos as nuvens.
De repente ficou frio, escureceu e a tua camisa preta debotou... caiu uma pinga em cima de mim e fomos proteger-nos dentro do carro. Ficamos o resto do tempo, com o rádio ligado e a olhar-mo-nos, como se nunca nos tivessemos visto!
Recordo tão bem a tua cara... do toque aveludado da tua mão... do teu olhar...

Daqueles dias que não são sonhos ... que foram e por vezes são realidade, logo de manhã...
Daqueles dias que o sítio é mágico...

Novamente, de um momento para o outro, já nos encontrava-mos no local onde eu te tinha ido buscar, entrei lá dentro e novamente o espanto... as cores... o vento soprava forte...
E o luar iluminava toda a entrada... Eu tive que partir e tu ficaste petrificado á porta...
A saudade ficou...

Porque é que foi um sonho? Será que algum dia será a realidade?

Acordei e adormeci e sonhei novamente...

O reencontro... mas foi como se nada tivesse acontecido... eu fugi com o carro...
Parei no sitio onde te tinha ido buscar, não vi lá ninguém, corri para dentro do carro e acelerei e só parei no outro sítio que tinhamos parado. Foi então que o choque electrico caíu em cima de mim... estavas lá... acompanhado docemente...
Olhaste para mim e riste-te "na" minha cara. Fui motivo de gozo... mas estavas imbecil...

Este foi pesadelo...
Quero alterar a minha vida... e os meus sonhos para que o pesadelo não se repita!
link4 comments|post comment

navigation
[ viewing | 10 entries back ]
[ go | earlier/later ]